domingo, 27 de setembro de 2009

Tudo Bem Simples



Olá Gente bonita!


Domingão, eu em casa... Já fui À beira mar com o Gabriel, mas confesso que se não fosse pelo compromisso de levar a criança para passear e respirar ar puro, tinha ficado o dia todo embaixo das cobertas...tem coisa melhor que dormir??? Tive uma semana complicada a qual passei muito sono...daí, a minha necessidade. Pois Bem: planos soníferos abortados, resta-me aproveitar o dia. Com esse tempinho, escrevo a vocês.

Ontem estava pensando na minha maneira de ser. Me auto-defini "simples". Eu não preciso de muita coisa para ser feliz. Preciso das coisas certas. Mas a vida toda fui assim. Lembro-me por exemplo, de sempre vestir qualquer coisa, mesmo herdada por primas, mãe, etc. Sem fazer-me de rogada. Ficava-me bem, vestia. Enquanto que na mesma época, via algumas adolescentes da minha idade e até mesmo minhas irmãs quererem a marca "tal" ou "Tal" da calça mais transada... nunca entendi bem o prazer que isso proporcionava. É claro que tive uma ou outra calça de marca, e tenho. Realmente vestem bem, mas não há outro motivo de eu as ter, a não ser este.

Nunca gostei de aparecer muito, no sentido de: "cheguei, me observem". Não. Se me destaquei, foi por mérito e não por necessidade de me destacar.

Sempre preferi comer feijão com arroz, farofa e bife (o detalheda farofa é importante). Mesmo que em minha casa tivesse estrogonof ou outras comidas enfeitadas. Sei o que é bom, mas meu paladar me condena!

Ser simples. O que é Ser simples afinal??? É ser medíocre, pouco atrativo, apagadinho???

Minha definição de ser simples, ultrapassa as palavras. Ser um Ser humano bom, passsa nessa definição de ser simples. Se pode ter muito dinheiro, poder, prestígio e ser humilde. Sentar no chão com um filho sem medo de se sujar. Pegar na mão de seu empregado e abraçá-lo no seu aniversário por exemplo. Lembrar de que ter importância não é ter status, mas sim, ter amor para dar. Porque um dia você vai querer ser lembrado e eu, sinceramente, quero ser lembrada por ter feito bem aos outros e não por ter tido uma vida rica e vazia ao mesmo tempo.

Eu nunca tive muito na vida, mas sim o suficiente. Suficiente até demais para compartilhar com meus amigos que não podiam ter. Depois que vim para Portugal, continuei tendo esse suficiente, mas de maneira diferente, por não ser destinado diretamente a mim e aí eu na minha simplicidade, vivi na mesma, com o necessário. E hoje, conseguindo construir uma vida com meu marido e filho, caminhando com nossos pés, vivemos uma vida muito simples, mas feliz, porque temos o que nos faz felizes.

Não sei se estou me fazendo entender. Mas queria passar a mensagem seguinte: A gente tem muita oportunidade na vida de pisar nos outros e subir. Mas também temos a opção de construir um futuro, com as pedrinhas colhidas em meio a um caminho muito longo, sem precisar passar por cima de ninguém, caminhando lado a lado e fazendo a nossa parte, sendo humildes e reconhecendo sempre os erros e aprendendo com eles.

Mas atenção. Ser simples, não é ser simplório. Não é ser fazer de coitado para ser alvo de pena alheia. Isso é mal, é muito mal.

Eu prefiro as flores que tem as pétalas unitárias, dispostas em uma só fileira, tipo as margaridas.

Eu prefiro água à refrigerante, eu prefiro pão com margarina do que com queijo... Mas não por que é mais barato, porque me é mais agradável ao paladar... Claro que tenho meus fricotes e não dispenso. Não vou comer algo que nao gosto, para parecer simplório. Ser simples, para mim, passa na definição de ser autêntica!

Prefiro manga comum, à manga rosa.

Gosto de ser lembrada por ser sempre bom astral, sem "frescuras", disposta a tudo. Gosto de ler, para ficar bem informada sobre qualquer assunto, para poder trocar idéias com as mais diversas vertentes... Gosto de levar a vida assim...gostando das coisas mais modestas e estando mais perto de coisas que realmente são importantes, dispensando futilidades pelo simples fato de ser fútil mesmo...

Eu gosto de me enfeitar...e acho que meu único pecado de consumo são botas e maquiagem. Mas mesmo assim, não tenho tantas...

Acabei de lembrar algo engraçado que eu fazia com uma amiga nos shoppings da vida: a gente ia ao shopping passar os perfumes caros dos mostruários. Saíamos cheirosérrimas, cada dia com um diferente... taí mais um exemplo de levar a vida leve. Era tão divertido!!! Vou contar que ainda faço isso de vez enquando kkkkkkkkkkkkkk. Não devo ser a única.

(Em outra ocasião, isso era chamado de sintoma de pobreza. Rsrsr.)

Gosto de conversar com um vizinho (não aqui), com a senhora da limpeza lá da clínica. Gosto de dizer" eu vejo isso pra senhora", ou "eu lhe ajudo a resolver"...

Nunca esqueço de um amigo. Gosto de sê-lo.

Gosto de surpreender as pessoas com presentinhos ou uma simples cartinha, sem nem estarem esperando. Gosto de receber um email dizendo "você falou a coisa certa, mesmo sem querer".

Gosto de fazer os outros rirem! Gosto de brincar de ding dong, jogar xadrez, ver filmes, e ver novelas (mais um vício). Gosto de tocar piano nas lojas de instumentos musicais (queria praticar mais). Mas não gosto de arrumar meu guarda roupas.

Gosto de levar a vida com muita leveza, pois já basta o peso do mundo nas nossas costas às vezes. Se a gente não criar este empuxo (aquela coisa da física quando a gente coloca algo na água e fica mais leve - por causa do empuxo), fica um fardo realmente pesado. E de fardo pesado entendo bem...mas lembrando que Deus dá o frio conforme o cobertor e você nunca vai ter o peso maior do que pode suportar.

Gosto de viver assim, fazendo tudo do modo mais simples, mais verdadeiro e autêntico.

O mistério da vida está em saber viver.


Beijos em Todos.


Tchela

6 comentários:

soldeprata@gmail.com disse...

Isso daí tá bem a sua cara, filha..É assim mesmo que lembro de você sempre...Mas fora de brincadeira, vc, nesse aspacto, sempre pareceu comigo.Lembra que eu sempre costurei as minhas próprias roupithas, e que vc foi uma seguidora minha nisso ?Foi a única que gostava das roupinhas feitas em casa, pela mamãe...rs(nunca foi esnobe!) As outras (que também têm seus jeitinhos próprios de ser)precisam de mim, só mesmo pra reformar as que "compram nos shopings da vida". Eu adoro a sua simplicidade, filha !!! (e humildade tbm!). Mesmo quando vc conseguir se realizar profissionalmente aí, jamais deixará de ser simples, de amar o próximo...Essa é a sua marca !!! (Chamamos pra isso: VALORES!).

soldeprata@gmail.com disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margareth disse...

Ô, amiga. Sempre que eu precisar de uma lição de humildade virei ler esse post (vai ser mais vezes do que vc imagina...). Aliás, hoje até comentei com sua mãe que esse texto é uma verdadeira oração.
Beijinhos da Margot

Fernanda disse...

Adorei a descrição da simplicidade...
lindo texto...me identifiquei bastante, ainda mas na parte do "pão com margarina".
tem coisa mas gostosa q o "café da tarde"? com pão quentinho e aquele cafezinho com leite bm quentinho?? naum.. naum tem!
viva a simplicidade!!!!!
bjus prima
te love...

Marcela Conor disse...

obrigada gente, pelas palavras e incentivo! Adoro quando a minha mensagem toca assim o coração, como eu queria que tocasse.

Beijocas em todas!
Tchela

MundoDaMaquiagem disse...

Ola linda! Lindo esse post!
Ja sou seguidora do seu blog!
Bju mt gd!