domingo, 27 de setembro de 2009

Tudo Bem Simples



Olá Gente bonita!


Domingão, eu em casa... Já fui À beira mar com o Gabriel, mas confesso que se não fosse pelo compromisso de levar a criança para passear e respirar ar puro, tinha ficado o dia todo embaixo das cobertas...tem coisa melhor que dormir??? Tive uma semana complicada a qual passei muito sono...daí, a minha necessidade. Pois Bem: planos soníferos abortados, resta-me aproveitar o dia. Com esse tempinho, escrevo a vocês.

Ontem estava pensando na minha maneira de ser. Me auto-defini "simples". Eu não preciso de muita coisa para ser feliz. Preciso das coisas certas. Mas a vida toda fui assim. Lembro-me por exemplo, de sempre vestir qualquer coisa, mesmo herdada por primas, mãe, etc. Sem fazer-me de rogada. Ficava-me bem, vestia. Enquanto que na mesma época, via algumas adolescentes da minha idade e até mesmo minhas irmãs quererem a marca "tal" ou "Tal" da calça mais transada... nunca entendi bem o prazer que isso proporcionava. É claro que tive uma ou outra calça de marca, e tenho. Realmente vestem bem, mas não há outro motivo de eu as ter, a não ser este.

Nunca gostei de aparecer muito, no sentido de: "cheguei, me observem". Não. Se me destaquei, foi por mérito e não por necessidade de me destacar.

Sempre preferi comer feijão com arroz, farofa e bife (o detalheda farofa é importante). Mesmo que em minha casa tivesse estrogonof ou outras comidas enfeitadas. Sei o que é bom, mas meu paladar me condena!

Ser simples. O que é Ser simples afinal??? É ser medíocre, pouco atrativo, apagadinho???

Minha definição de ser simples, ultrapassa as palavras. Ser um Ser humano bom, passsa nessa definição de ser simples. Se pode ter muito dinheiro, poder, prestígio e ser humilde. Sentar no chão com um filho sem medo de se sujar. Pegar na mão de seu empregado e abraçá-lo no seu aniversário por exemplo. Lembrar de que ter importância não é ter status, mas sim, ter amor para dar. Porque um dia você vai querer ser lembrado e eu, sinceramente, quero ser lembrada por ter feito bem aos outros e não por ter tido uma vida rica e vazia ao mesmo tempo.

Eu nunca tive muito na vida, mas sim o suficiente. Suficiente até demais para compartilhar com meus amigos que não podiam ter. Depois que vim para Portugal, continuei tendo esse suficiente, mas de maneira diferente, por não ser destinado diretamente a mim e aí eu na minha simplicidade, vivi na mesma, com o necessário. E hoje, conseguindo construir uma vida com meu marido e filho, caminhando com nossos pés, vivemos uma vida muito simples, mas feliz, porque temos o que nos faz felizes.

Não sei se estou me fazendo entender. Mas queria passar a mensagem seguinte: A gente tem muita oportunidade na vida de pisar nos outros e subir. Mas também temos a opção de construir um futuro, com as pedrinhas colhidas em meio a um caminho muito longo, sem precisar passar por cima de ninguém, caminhando lado a lado e fazendo a nossa parte, sendo humildes e reconhecendo sempre os erros e aprendendo com eles.

Mas atenção. Ser simples, não é ser simplório. Não é ser fazer de coitado para ser alvo de pena alheia. Isso é mal, é muito mal.

Eu prefiro as flores que tem as pétalas unitárias, dispostas em uma só fileira, tipo as margaridas.

Eu prefiro água à refrigerante, eu prefiro pão com margarina do que com queijo... Mas não por que é mais barato, porque me é mais agradável ao paladar... Claro que tenho meus fricotes e não dispenso. Não vou comer algo que nao gosto, para parecer simplório. Ser simples, para mim, passa na definição de ser autêntica!

Prefiro manga comum, à manga rosa.

Gosto de ser lembrada por ser sempre bom astral, sem "frescuras", disposta a tudo. Gosto de ler, para ficar bem informada sobre qualquer assunto, para poder trocar idéias com as mais diversas vertentes... Gosto de levar a vida assim...gostando das coisas mais modestas e estando mais perto de coisas que realmente são importantes, dispensando futilidades pelo simples fato de ser fútil mesmo...

Eu gosto de me enfeitar...e acho que meu único pecado de consumo são botas e maquiagem. Mas mesmo assim, não tenho tantas...

Acabei de lembrar algo engraçado que eu fazia com uma amiga nos shoppings da vida: a gente ia ao shopping passar os perfumes caros dos mostruários. Saíamos cheirosérrimas, cada dia com um diferente... taí mais um exemplo de levar a vida leve. Era tão divertido!!! Vou contar que ainda faço isso de vez enquando kkkkkkkkkkkkkk. Não devo ser a única.

(Em outra ocasião, isso era chamado de sintoma de pobreza. Rsrsr.)

Gosto de conversar com um vizinho (não aqui), com a senhora da limpeza lá da clínica. Gosto de dizer" eu vejo isso pra senhora", ou "eu lhe ajudo a resolver"...

Nunca esqueço de um amigo. Gosto de sê-lo.

Gosto de surpreender as pessoas com presentinhos ou uma simples cartinha, sem nem estarem esperando. Gosto de receber um email dizendo "você falou a coisa certa, mesmo sem querer".

Gosto de fazer os outros rirem! Gosto de brincar de ding dong, jogar xadrez, ver filmes, e ver novelas (mais um vício). Gosto de tocar piano nas lojas de instumentos musicais (queria praticar mais). Mas não gosto de arrumar meu guarda roupas.

Gosto de levar a vida com muita leveza, pois já basta o peso do mundo nas nossas costas às vezes. Se a gente não criar este empuxo (aquela coisa da física quando a gente coloca algo na água e fica mais leve - por causa do empuxo), fica um fardo realmente pesado. E de fardo pesado entendo bem...mas lembrando que Deus dá o frio conforme o cobertor e você nunca vai ter o peso maior do que pode suportar.

Gosto de viver assim, fazendo tudo do modo mais simples, mais verdadeiro e autêntico.

O mistério da vida está em saber viver.


Beijos em Todos.


Tchela

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Para o dia 25 de setembro!











Olá amigos amados!!!




Ainda não recuperada do início cansativo da semana (hoje já trabalhei 14h seguidas), com sono e mesmo cansada, sem idéias, sem ânimo, mas Feliz, farei uma Postagem Especial!

Sexta Feira dia 25 é um dia muito especial. Aniversário da minha mãe! Eu não poderia passar aqui sem lhe homenagear, nem que fosse através de palavras! Então mãe! Este é Especial pra você.

O que dizer pra esta pessoa tão especial na minha vida?

Quero começar pedindo profundas desculpas por estar aqui tão longe. E por ter escolhido viver assim tão distante, com seu netinho amado privado de sua presença tão importante! Mas como a senhora já viu, o Gabriel Reconhece a vovó Aurora em qualquer lugar!

Este ano não tive oportunidade de escrever uma cartinha como de costume, mas manifesto aqui meu profundo amor.

Parabéns, mamãe! Estou aqui longe, mas sempre contigo perto. Mesmo que por último a minha vida atribulada e corrida tenha me privado das nossas conversas diárias, necessito de ti, mesmo que em pensamento, para que eu possa ter forças para seguir em frente!

Obrigada por ter feito de mim, a pessoa que sou hoje. Muitas vezes não te compreendi no teu papel de mãe enquanto estávamos perto. Foi preciso eu me distanciar, para realmente ver o que me fazia falta. Foi preciso eu me tornar mãe para te compreender melhor! Tantas saudades, que espero ansiosa saciar este ano, se Deus quiser (e Ele há de querer).

Simplesmente falta-me palavras para demonstrar minha admiração e reconhecimento à grande educadora que eu tive o privilégio de ter como MÃE! Obrigada Papai do Céu, por eu ser cria desta fantástica mulher! Dizem que Pai e Mãe não escolhemos, mas tive tanta sorte por ter sido honrada com essa dádiva de ter sido abençoada em ser filha da Aurora.

Uma vez disseram-me que ser filha da Aurora é quase como ter uma religião própria do tipo: "os filhos do Paraíso", "AS FILHAS DA AURORA". E digo que é mesmo quase isso.

Para mim, não é fácil viver assim tão longe! Mas não sei se é esta a sensação que realmente sinto: que depois dessa distância, ficamos mais próximas no Coração.

Feliz aniversário mãe! Só peço a Deus sua saúde e bênção para continuar vivendo a vida em paz.

Certa de que vamos novamente passar em breve aqueles momentos gostosos de risadas diárias, até doer a barriga de tanto rir. Eu este ano, novamente, não vou poder colocar o disco do carequinha com os parabéns (é ou não é, Maria do Carmo??kkkkkkk) e nem fazer bolo de chocolate, que a senhora tanto detesta rsrsrsrs..

Não quero transformar essa postagem em um mar de lágrimas Saudosas. Mas sim em um momento de que meu coração está em Festa para celebrar este aniversário! Que sua sabedoria continue a inundar nossas vidas e seu bom coração possa nos cobrir das alegrias que precisamos!

Te amo, mãe!!! Feliz cumpletaños...

Já devem ter percebido que estou mais do que nunca, hoje , melancólica por estar distante de tudo o que Deixei... não é arrependimento de ter deixado, mas saudades normais de qualquer ser humano. E isso Aflora cada vez mais quando se aproximam essas datas importantes!!!

Amanhã é meu aniversário de Casamento.

Para variar, não passarei com meu Marido novamente. Vou passar o dia trabalhando (e muito)...estou esperando alguma surpresa quando eu chegar (geralmente tem rsrsrsrs).

Devo desculpar-me com todos por mais uma postagem emocionada... Mas muito feliz, por poder escrever sobre o aniversário daquela que me Deu a Vida!

Tantas histórias para contar, tantos ensinamentos...uma vida gerada e criada.

Te amo mãe!!!!

Feliz aniversário, Que tudo seja festa.
Beijos enormes em todos,


Tchela


Ps*: Foto tirada na Ribeira do Porto, na visita da mamãe pelo nascimento do Gabriel agosto de 2007(resguardo de 20 dias)
Ps**: Prometo que ainda falo do uirapuru!!!
Ps***: Continuo preparando-me psicologicamente pra o Karaoke rrsrsrsrss









video

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Post Rapidinho!!!!


Crianças do Meu Brasil Varonil!!!!


Creio eu que esta é uma postagem rápida. As coisas andam corridas por aqui!

Descobri uma nova diversão: Karaoke (Lê-se Karaóke por aqui)... Mas ainda não tive coragem de cantar... logo eu: voz de Colibri kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

No Restaurante do meu sogro tem tido o tal Karaoke todos os Domingos... fiz um compromisso de cantar no próximo. O Mais esquisito é cantar as músicas daqui. Mas tem umas Brasileiras para safar! Vou fazer juz ao ditado "quem canta seus males espanta".

Ah, belos tempos de trovadores cantantes... curió de Castanhal kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Agora tenho que dormir. Amanhã tenho o tal hospital em Gaia. Parece que a coisa por lá vai ser mais pauleira amanhã... não sei bem. Estarei na labuta das 8 da matina às 24h... por esta razão, só deverei postar mais coisinhas fixes quarta à noite! Gostaria que meus amiguinhos leitores, sugerissem seus temas: querem que eu fale mais de mim, minhas aventuras vividas, das lendas, das casualidades vividas???

Estou mesmo cheinha de sono!

Mas não posso ir embora sem agradecer À minha amiga Margareth, pela bela homenagem em seu blog, dizendo-me incentivadora desta iniciativa! Amiga, devo dizer que por mais que tenhamos vivido neste País ao mesmo tempo, lamento muito nunca ter conhecido você pessoalmente. Devo também dizer que você me abraçou e que como você aqui eu me sentia menos triste!!! Obrigada por tudo! E não vai ser por isso que desistiremos de nos conhecermos um dia!!

Estou bem humorada. E acabei de ler o Blog do Lu Nassyn, que fala de levar a vida mais suavemente, com as situações vividas... rir é o melhor Remédio!

Beijocas e até Quarta Feira!!!


Tchela!!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Para quem Tem Fé.

Queridos amigos...

Eu deveria escrever para vocês ontem, que estava em um lugar mágico, renovando as forças e a fé. Estava em Fátima, Portugal, com meu marido e filho.




Não sei bem demonstrar o que sinto quando estou lá, mas é incomparável, inexplicável, magnífico sentir estar em um lugar onde esteve Nossa Senhora - a MÃE.


A origem da minha devoção Mariana confunde-se com a minha vida. Vou relatar agora para vocês, uma história que sempre foi-me contada pela minha mãe. Vou falar do meu jeito, como eu assimilei tudo isso.


Devo começar em dizer que em Belém do Pará, temos uma devoção divina por Nossa Senhora de Nazareh (eu até a chamo intimamente de minha Naza). Essa íntima relação é vista anualmente no Círio de Nazareh, que é uma procissão centenária pelas Ruas de Belém, que ocorre a cada segundo domingo de outubro que leva um mar de milhões de pessoas às ruas da Capital paraense (mais adiante vou postar um link para que quem não conhece, possa entender melhor e em outubro, falarei do Círio). Portanto, a história começa assim:


Quando eu tinha 2 meses de vida, adoeci gravemente com uma infecção intestinal. Meus pais na época, sem posses e sem experiência, fizeram o que podiam para eu ter assistência médica, mas naquela época era tudo muito difícil na "cidadezinha onde eu nasci". Meu pai pegou todo o dinheiro que tinha guardado e foi comigo e minha mãe para Belém, onde tinham mais recurso para eu ter uma melhor assitência. A clínica infantil na época não tinha mais leito e meu pai ficou a espera que um desocupasse. Ocupei o Leito de um outro bebê que havia morrido naquela noite. Agradeço a esse anjinho também pela minha vida.


Entrei no hospital naquele dia muito mal, desitratada e fraca. Com apenas 2 meses, os médicos começaram a não dar muitas esperanças de recuperação aos meus pais, mesmo fazendo tudo o que podiam. Minha mãe conta que eu tinha as veias todas aparecendo e a barriguinha verde, e a pele amarelada. Após dias de internação, os médicos chamaram a minha mãe e prepararam-na para o pior, pois eu não melhorava. Não estava resistindo. Nesta hora, minha mãe saiu do quarto do hospital e foi à rua. Esta clínica ficava em frente À Basílica de Nossa Senhora de Nazareh. Quando minha mãe saiu, estavam tocando os carrilhões da Basílica, como tocam a cada hora... Conta mamãe, que ela nesta hora fez uma oração com todo seu coração, me entregando nas mãos de Maria. Que se não fosse pra eu ser dela, deste mundo, que ela me levasse logo, para parar com meu sofrimento... Mamãe diz, que a partir daquela noite, eu comecei a melhorar.


Quem tem fé, acredita que minha vida foi salva milagrosamente pelas mãos de Nossa Senhora, que em Belém, tem a designação de Nossa Senhora de Narareh, que aqui em Fátima, é a Virgem do Rosário de Fátima... e tantas outras designações para nomear a Mulher mais incrível da história: a Mãe de Jesus.


Em Fátima, eu estive em paz. uma paz que precisava recuperar, por tantas provações que tenho passado aqui. Fui à casa dos pastorinhos... e cada vez que lá retorno, tenho o sentimento de ser uma poeira em ter tanto e na verdade Maria apareceu para as crianças mais humildes... Lembrei de muitos amigos lá. Pedi força e proteção a todas as pessoas que me são importantes, para todas as pessoas que pediram minhas orações e principalmente pedi por minha mãe, meu pai, irmãs e sobrinha. Pedi muita força e proteção para o meu Casamento e muita saúde para o meu filho e pedi ainda a capacidade de ser uma boa mãe.


Uma das coisas que mais sinto saudades de minha Terra é do Círio. De acompanhar a procissão. De chorar emcionada ao ver a Mãezinha passar sempre tão linda em sua Berlinda... eu e o Círio temos uma história íntima. E Agradeço todos os anos, mesmo não estando lá presente, pelo dom da minha vida.


Ainda não sei a minha missão nesse mundo, mas busco fazer bem a parte que me cabe.


Acredito que ainda tenho muito por fazer e espero fazer bem o que me está escrito.


Vou deixar com vocês, um link para que conheçam melhor a história de Nossa Senhora de Nazareh e outro, para quem quiser saber o que se passa ao vivo na Capelinha das aparições em Fátima.


Eu tento fazer o que a Senhora de Fátima pediu às Crianças: Rezar pela alma dos pecadores. Me incluo nessa designação de pecador. Porque quando chegar a minha hora, quero estar bem pertinho de Deus.


Um Beijo com muita Fé e renovação.


Tchela




Círio de Nazareh (Nazaré) - Belém - Pará - Brasil










Santuário de Fátima - Fátima - Portugal




segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Marcela Conor: tá todo mundo doido...nada de oba!


Dê um clik no link abaixo para ler o texto.

Marcela Conor: tá todo mundo doido...nada de oba!

Postagem antiga, mas o tema é atual, infelizmente!!!

Neste 7 de setembro é bom lembrar que tipo de independência temos no Brasil e se tem no mundo!

A próxima postagem vai ser bem melhor, prometo!!!

Beijocas da Tchela em todos!!!!!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Assim carregue o nosso amor a Boa Sorte


Oi Amigos!!


Uma vez, pediram para eu fazer uma redação em que o Tema era: "uma carta ao tambatajá". Não lembro se para o vestibular da UFPA ou CESUPA, mas acho que foi a carta mais bonita que já fiz. Infelizmente não Tenho cópia deste texto, mas lembro-me de algumas coisas que escrevi.

Para quem não sabe, o Tambatajá é uma planta que existe na região amazônica, que é muito usada como uma espécie de "amuleto do amor", devido à lenda que explica a sua existência. É uma bonita e trágica estória de amor. E falando em lendas, lembro-me que tive um pedido especial para contar mais das lendas do Pará.


A lenda do Tambatajá é conhecida na região amazônica (Amazonas, rondônia e Pará principalmente. Atenção que a região amazônica não é só isso!!!!).

Vou tentar contar...


Conta a lenda, que existiam tribos rivais, onde o Guerreiro da tribo Taulipang, Uiná, e a cunhã mais bonita da tribo dos Macuxi, Acami, se apaixonaram perdidamente. Contra tudo e todos, foram viver este amor sozinhos e longe, já que foram explusos de suas tribos, por conta deste intenso sentimento. Casal como este nunca fora visto antes. Eram tão apaixonados, tão dependentes um do outro que tornaram-se inseparáveis. Onde Uiná estava, Acami, estava junto. Um dia, Acami engravidou, mas o seu filho nasceu morto. Depois disso ela ficou muito doente e este mal lhe deixou paralítica. Uiná nunca abandonou sua amada. Teceu uma espécie de tipóia e começou a carrergar sua amada nas costas para onde quer que fosse. Um dia, deparou-se com uma guerra entre tribos rivais. Tentou fugir, correr entre as flexas, mas Acami, fora atingida mortalmente. Ao sentir sua tipóia pesada, viu que sua amada não tinha mais vida e ficou desesperado de tristeza. Neste ímpeto, desceu ao leito de um igarapé, cavou uma sepultura, fez uma armadilha com toda areia que havia cavado por cima da cova, deitou-se, acomodou o seu amor em seu peito e acionou a armadilha para serem enterrados juntos. Nunca mais se ouviu falar de Uiná e Acami. Mas, no local onde os dois se deitaram pela última vez juntos, surgiu uma planta peculiar, com uma folha grande, em formato triangular e em seu verso uma folha menor, protegida, e esta, tinha a forma de um órgão sexual feminino. Diz a lenda que esta folha representa a união do casal, que nem a morte separou.

Por esta razão, o Tambatajá é venerado como a planta do Amor e quem tem um pé de Tajá vistoso em casa, sebe-se que ali reina o amor...

Acredita-se também que o Tajá é um amuleto e pode trazer a pessoa amada...
E quem carrega consigo uma folha de Tambatajá tem sorte no amor!
Há muitas espécies de Tajás, mas todas partilham deste poder amoroso.


Em minha carta ao Tambatajá, pedi que um dia, eu tivesse um amor puro e verdadeiro que me fizesse sentir sempre amparada, como Uiná amparou Acami (mesmo acamada!! Não resisti ao trocadilho). Meu amor encontrei muito longe... mas o Tambatajá me ouviu!!!

Waldemar Henrique, poeta, maestro e músico que viveu em Belém, em sua sabedoria, compôs umas das mais belas canções de amor que um dia já se viu. Coloco aqui a letra para vocês, e presenteio com um vídeo. No vídeo, a lenda é contada de forma diferente, mas é lenda...ninguém sabe ao certo o que aconteceu... Porém igualmente linda!

TambaTajá (Waldemar Henrique)

Tamba-tajá me faz feliz
que meu amor me queira bem
que meu amor seja só meu
de mais ninguém
que seja meu,
todinho meu,
de mais ninguém.
Tamba tajá me faz feliz...
Assim o índio carregou sua macuxi
para o roçado,
para a guerra,
para a morte...
assim carregue o nosso amor a boa sorte...
Tamba-tajá me faz feliz...
Que mais ninguém possa beijar o que beijei
que mais ninguém escute aquilo que escutei
nem possa olhar dentro dos olhos que olhei.
Tamba-tajá
Tamba-tajá
O vídeo pode ser visto aqui



Arrepiem-se. E vivam seu amor como Uiná e Acami. Intensamente, sem barreiras.

A Mais Bonita interpretação desta música, na minha opinião, foi dada por Nilson Chaves e Vital Lima, cantores paraenses, que está no CD Waldemar de 1995.
E para quem ainda não encontrou sua metade, façam uma prece muito forte ao Tambatajá, que será ouvida!!!

Um Beijo
Tchela



Mais sobre o Maestro Waldemar Henrique e Vale muito a pena Saber mais sobre sua obra:
Biografia de Waldemar Henrique